Rio Branco - Acre - ENNOAPA e ETA terminam com formalização de pacto em prol da adoção

Pela primeira vez, o Acre sediou o Encontro Norte-Nordeste de Apoio à Adoção (ENNOAPA), que em sua sétima edição chamou atenção para o tema ‘Rompendo as Fronteiras da Adoção – desafios e perspectivas da integração entre os povos do século XXI. Com o mesmo foco, foi realizado simultaneamente o I Encontro Trifronteiriço de Adoção (ETA), que contou com a presença de representantes do Peru, Bolívia e de sete estados brasileiros, além do Distrito Federal.

Nesta quarta-feira (21), o MP/AC, Sebrae e a Secretaria de Pequenos Negócios assinaram um termo de cooperação técnica que tem por objetivo capacitar e gerar renda para as famílias que não podem criar seus filhos por dificuldades financeiras. No encerramento, também foi apresentada a Carta de Recomendação do ENNOAPA, com dez compromissos que formam um pacto em prol da adoção.

Durante três dias, membros do Ministério Público, juízes, parlamentares, estudantes, famílias adotivas e integrantes de Organizações Não-Governamentais (ONGs) discutiram sobre os problemas que aumentam o tempo de espera de crianças que vivem em abrigos por uma família. O encontro também permitiu aos participantes conhecer o trabalho dos grupos de adoção que existem no Brasil e como funciona o processo para adotar uma criança nos países vizinhos.

“Nós tivemos a oportunidade de conhecer a realidade do Peru e da Bolívia e percebemos que no Brasil os movimentos em prol da adoção estão crescendo, mas podemos avançar ainda mais”, avaliou a coordenadora do Grupo de Estudos de Apoio à Adoção do Acre (GEAAC), Valeska Menezes.

Foram discutidas questões, que vão desde a adoção internacional e até a realidade do Acre. O Cadastro Nacional de Adoção conta com mais de 28 mil crianças e adolescentes aptos a serem adotados, e 5.281 casais interessados em ter um filho adotivo. Não existe nenhuma criança acreana cadastrada.

Outra informação relevante é que, atualmente, existem menos famílias estrangeiras interessadas em adotar no Brasil. A Itália é o país que mais adota crianças brasileiras. O perfil procurado pelas famílias estrangeiras é mais abrangente, já que boa parte dos adotados tem em média seis anos de idade, diferente do que acontece no Brasil, onde a preferência é pelos que tem menos de dois anos e são da cor branca.

No encerramento, a procuradora-geral adjunta para Assuntos Administrativos e Institucionais disse que o evento, que tinha como intenção a promoção de uma consciência, além de oportunizar à sociedade o conhecimento sobre as várias faces da adoção, atingiu as expectativas. “Quero pedir que vocês acompanhem o trabalho dos grupos de adoção no Facebook, que façam uma avaliação desse evento para que possamos melhorar ainda mais com as sugestões apresentadas”, disse.

O ENNOAPA e o ETA são resultado de uma parceria entre o GEAAC, Ministério Público do Estado do Acre (MP/AC), Governo do Estado, Prefeitura de Rio Branco, Tribunal de Justiça, entre outras instituições. O Acre foi o segundo estado da região Norte a sediar o evento. O primeiro foi Rondônia e a próxima edição será realizada no Amazonas.

http://webserver.mp.ac.gov.br/ennoapa-e-eta-terminam-com-formalizac...

Exibições: 194

Comentar

Você precisa ser um membro de Casé Fortes para adicionar comentários!

Entrar em Casé Fortes

Download da Cartilha

Adquira a CAMISA da campanha

 

ILOJA VIRTUAL "TODOS CONTRA A PEDOFILIA", por Danusa Biasi

https://linktr.ee/tcpbrasil

Membros

Palestra sobre CRIMES DE PEDOFILIA

Entre em contato:
e-mail:
case@viaceu.com.br
telefone
37.3691.3169
Instagram
@case_fortes

© 2021   Criado por Carlos José e Silva Fortes.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço